Sunday, September 17, 2006

Patricio Saez Vence Mundial

.
Patricio Saez (Chile) 1º Classificado

.
António Silva (Portugal) 2º Classificado

.
Santiago Cid (Espanha) 3º Classificado

O mar esteve novamente com ondulação muito forte o que exigiu um enorme esforço aos atletas. As águas estiveram melhores, com 2 a 5 metros de visibilidade.
Santiago Cid realizou uma grande caçada o que lhe permitiu ganhar a jornada e subir muitos lugares na classificação.
Também Pedro Carbonel recuperou muitos lugares, capturando o maior exemplar deste campeonato, um mero com cerca de 9 kgs.
António Silva foi segundo no dia com uma optima pescaria. Patricio Saez não se distraiu e fez igualmente uma caçada enorme.
O vencedor final deste Mundial só foi conhecido no último instante das pesagens pois a diferença pontual entre o português e o chileno foi minima.
Por equipas a victoria foi para Portugal.

.

Classificação Final

1º Patrício Saez - Chile - 186,746
2º António Silva - Portugal - 182,726
3º Santiago Cid - Espanha - 145,160
4º Rui Torres - Portugal - 142,580
5º Pedro Carbonel - Espanha - 117,321
6º Franco Bosquez - Chile - 107,374
7º Andri Lagutin - Ucrania - 104,415
8 Daniel Gospic - Croacia - 95,742
9º Frank Fouc - Tahiti - 91,303
10º Stefano Bellani - Italia - 89.834
13º Carlos Osório - Portugal - 85,387

Equipas
1º Portugal 410,694
2º Chile 369,190
3º Espanha 340,405
4º Croacia 257,421
5º Italia 247,789
6º França 200,250

Saturday, September 16, 2006

1º Dia - Patricio Saez comanda Mundial

.
Patricio Saez (Chile) 1º Classificado

.
António Silva (Portugal) 2º Classificado

.
Rui Torres (Portugal) 4º Classificado

Decorreu hoje a primeira jornada do XXV Campeonato do Mundo de Pesca Submarina - Sines 2006. O mar esteve agitado, com água muito turva. A visibilidade oscilava entre os 20 cm e os 2 metros. A zona de prova foi limitada a Norte pelo molhe da central termoelectrica e a Sul pela praia do Queimado (a Sul da ilha do Pessegueiro).
Na primeira hora os pescadores dividiram-se em dois grandes grupos, os que ficaram em redor da ilha do Pessegueiro e os que foram para a zona do "Burrinho".
A água muito turva e a falta de peixe, desorientou muitos atletas que tiveram de improvisar e "deitar fora" o trabalho de reconhecimento. O vencedor da Jornada pescou sempre na zona de Porto Covo mesmo em frente ao porto de abrigo.

.
Equipa de Itália: Bellani, Mancia e Ramaciotti

.
O maior exemplar, 1 pargo dentudo com 5,775kg. Daniel Marquez (Peru)

.
Ambiente das pesagens em Sines

Classificação - Dia 16
1º Saez (Chile) 100%
2º Silva (Portugal) 84%
3º Lagutin (Ucrania) 66%
4º Torres (Portugal) 58%
5º Ramaciotti (Italia) 55%
6º Bellani (Italia) 48%
7º Fouc (Tahiti) 45%
8º Cid (Espanha) 45%
9º Enrico (França) 40%
10º Bosquez (Chile) 40%
11º Mancia (Italia) 39%

14º Osorio (Portugal) 34%
16º Fuentes (Espanha) 28%
18º Ortiz (França) 26%
22º Thoni (Brasil) 22%
23º Carbonel (Espanha) 21%
26º Benoit (França) 17%

Friday, September 15, 2006

Cerimonia de abertura em Sines - XXV Mundial de Pesca Submarina

.
Cerimonia de Abertura em Sines.

.
Entre os 80 atletas descobrimos quatro Campeões do Mundo de Pesca Submarina: JB Esclapez, Stefano Bellani (actual Campeão do Mundo), Pedro Carbonell (3x Campeoão do Mundo) e Alberto Marsh.

O Estado do mar continua a preocupar a organização e atletas. A previsão não é boa, o mar vai continuar forte e o vento vai atrapalhar mais a situação. Todos os participantes estão conformados que o factor sorte vai ser muito importante no resultado da primeira e provavelmente única prova deste Evento. Para disputar a prova é necessário pelo menos 2,5m de visibilidade. Este regulamento CMAS vai ser determinante para a execução da prova de Sabado.

Estado do mar preocupa organização

Ontem ao final da tarde o mar em Sines era muito grande e mesmo assustador para a organização. Além da grande ondulação, o vento era forte e a água era muito suja.
Hoje pela manhã o mar na zona Sul de Sines era mais tranquilo e não tinha vento. A água é ainda bastante turva.
Uma certeza e já assumida por todos os pescadores submarinos é que este Campeonato do Mundo irá ser disputado sob condições bastante duras.
Será provavelmente um Campeonato do Mundo de Pesca Submarina "No Limits"!
Esta manhã foram sorteadas as embarcações e distribuidos os atletas pelos respectivos barcos.

Thursday, September 14, 2006

O mar cresce em Sines

Esta manhã o mar começou a ganhar força e a ondulação adicionada ao vento é demasiado forte para a pratica da pesca submarina em condições. Apesar disto, vários atletas foram para as zonas de prova mergulhar e ver o que se poderia fazer com tais características. Para Rui Torres “O mar para o fim de semana é muito grande. Para mim vai ser uma novidade estar no mar com tais condições” o atleta de Sines nunca caçou com um mar como a previsão aponta para 16 e 17 de Setembro.
Vamos ver como evolui a meteorologia para os dias de competição, mas o cenário é mau, para não dizer outra coisa...

.
Foto realizada na Águião e Alagadas às 12:00h

Wednesday, September 13, 2006

Margarida Aldunate vence Troféu Feminino Vasco da Gama – Cidade de Sines

.
Seis pescadoras submarinas de quatro nações disputaram hoje o Troféu Feminino Vasco da Gama. Margarida Aldunate do Chile foi a vencedora.

A prova disputada no Cabo Sardão, iniciou-se pelas 11:20 e contou com óptimas condições meteorológicas.
Com o decorrer do tempo o vento aumentou, a ondulação subiu, o sol desapareceu e a chuva caiu com intensidade. Com um início fantástico o dia acabou aborrecido e desagradável.
Apesar de tudo a água esteve com boa visibilidade, 20º e bastante peixe.
Não existiu qualquer reconhecimento da zona de prova, as condições foram iguais para todas as atletas.
Margarida Aldunate do Chile pescou essencialmente à espera e na espuma, conseguindo capturar 7 peças válidas, tainhas, um sargo e um bodião.

1ª Margarida Aldunate
2ª Tereza Cañada
3ª Elizabeth Pazo
4ª Dina Konygina
4ª Polina Kovaleva
4ª Olga Suryakova

.
Da esquerda para a direita: Dina Konygina (Russia), Polina Kovaleva (Russia), Margarida Aldunate (Chile), Elizabeth Pazo (Venezuela), Olga Suryakova (Russia) e Tereza Cañada (Espanha).

António Silva – Esperar para ver

Mundo Submerso – Como está o António Silva, sabendo que este campeonato vai ser muito “físico” e com uma boa dose de improviso?
António Silva – Eu sinto-me bem. E só mesmo no dia da prova é que vou saber o que vou saber. Que zonas irão ser escolhidas, etc.

MS – Começa a nascer a ideia que muito do trabalho de reconhecimento vai “por água abaixo”?
AS – Sim, vamos ver como vai estar o mar, provavelmente muito do trabalho de reconhecimento vai ser para deitar fora. Não irei poder andar a caçar “à la carte”.

MS – O mar agitado é favorável ao António Silva?
AS – Eu não me posso queixar de provas em dias de mar mau, normalmente dou-me bem com estas condições. São sempre provas onde as coisas vão acontecendo, há muita apreensão... temos de estar atentos vários factores, a diversos indicadores.

MS – Uma má classificação neste Mundial o que seria?
AS – Ficar fora dos 10 primeiros.

MS – Estas condições de prova vão ser únicas em Portugal?
AS – Pela primeira vez vamos ter cerca de 80 barcos a navegar (o que irá fazer muito barulho) 60 caçadores dentro de água (do mais alto nível), como é que o peixe vai reagir a esta situação, não sei! Isto vai ser uma novidade entre nós, nas nossas águas.
Se o mar estiver muito agitado, as zonas vão ficar mais curtas, há áreas que vão deixar de ser praticáveis. Quer isto dizer que vão existir zonas com grandes concentrações de caçadores. Vamos ver como tudo isto vai funcionar!

Tuesday, September 12, 2006

Stefano Bellani quer ficar nos 5 primeiros

.
Stefano Bellani - Itália – Campeão do Mundo em titulo (Chile 2004)

Mundo Submerso – Como está Stefano Bellani a alguns dias de mais um Mundial de Pesca Submarina?
Stefano Bellani – Agora estou muito bem, estive algum tempo sem mergulhar (Julho e Agosto) apenas fiz treino físico a seco. Agora ao fim de 10 dias de acção sempre na água, estou bem fisicamente.

MS – Com um mar que não vai ajudar o que espera deste Mundial?
SB – Espero fazer uma boa competição, mas vai ser um pouco difícil pois as condições não são as apropriadas. Quando aqui estivemos em Novembro apanhamos dias de mar forte e não apanhamos muito peixe. A sorte vai contar muito.
Este tipo de condições não são as que me agradam mais, mar agitado, turvo, gosto mais de águas cristalinas e calmas.

MS – Quais são os seus objectivos?
SB – Digamos que desejo fazer uma bela prova. A vitoria é uma coisa que nos acontece uma vez na vida (já existiram alguns que venceram três vezes).Eu espero fazer uma bela prova e ficar entre os primeiros cinco.

MS – O que lhe parece a zona de prova?
SB – O campo de pesca é enorme, depois varia muito de fundo. Podemos estar a ver uma zona com umas características, e 50m ao lado existir um fundo completamente distinto com outros peixes.

MS – E o peixe?
SB – O peixe não é difícil, é difícil é compreender como se movimenta. Descobri zonas muito bonitas com sargos, buracos fantásticos e com 10 peixes. Fui dar uma volta e ao fim de meia hora estavam lá 2 peixes. Uma hora mais tarde voltei e vi 20 sargos. Isto é um problema para nós, pois quando não temos peixe num buraco vamos embora e não voltamos mais ao local. Aqui é uma dificuldade, pois podemos passar numa marca e não ter peixe nenhum e passadas duas horas estar pleno de peixe. Para nós italianos é difícil mentalmente voltar a um local onde já passamos. Vai ser uma prova um pouco estranha para nós.

Monday, September 11, 2006

Rui Torres confiante

.
As previsões meteorológicas para o Campeonato do Mundo de Pesca Submarina em Sines não são as melhores, longe disso. Forte ondulação, vento e possivelmente águas turvas é o cenário mais esperado para Sábado e Domingo.
Perante estes prognósticos, estivemos à conversa com alguns dos candidatos ao lugar mais alto do pódium. Começamos a publicação destas pequenas entrevistas por Rui Torres, residente em Sines, actual Campeão da Europa da modalidade e um especialista de pesca nesta condições.

Mundo Submerso – Como está o Rui Torres, fisicamente e psicologicamente a 6 dias do grande evento?
Rui Torres – Está bem! De certa forma a pressão veio a aliviar, pois as previsões são de mar bastante mau! Por um lado tira-nos pressão de cima, pois isto vai baralhar muitas coisas, o factor casa (como já aconteceu noutros campeonatos) vai deixar de ter tanta importância, nivelando mais os conhecimentos dos atletas, mas por outro lado vão surgir as condições que eu gosto. Espero que não seja… é mar à mais!
Ao nível físico sinto-me muito bem.

MS – Quais os objectivos para esta competição?
RT – Vou enfrentar esta competição como enfrento todas as outras, dando o melhor de mim próprio sem lutar por um lugar específico. Chegar ao final do Campeonato, ficar satisfeito porque dei o máximo e a classificação virá dai. Vou lutar pela melhor posição possível, e a melhor será sempre a primeira.
Vão estar 60 atletas dentro de água, as condições vão ser muito duras, acho que vai ser um campeonato muito giro.